Nao me deixem tranquilo
nao me guardem sossego
eu quero a ansia da onda
o eterno rebentar da espuma

As horas sao-me escassas:
dai-me o tempo
ainda que nao o mereça
que eu quero
ter outra vez
idades que nunca tive
para ser sempre
eu e a vida
nesta dança desencontrada
como se de corpos
tivéssemos trocado
para morrer vivendo